ESPÉCIES E VARIEDADES

As variedades recomendadas são todas as espécies “Coffea Arabica”, para a produção de café com Selo de Indicação de Procedência da Região da Serra da Mantiqueira de Minas Gerais. As mais comuns são: Bourbon, Acaiá, Catuaí, Icatu, Mundo Novo, Catucaí.

SISTEMA DE PRODUÇÃO E COLHEITA

O sistema de produção envolve boas práticas agronômicas, abrangendo-se técnicas que respeitem a atual legislação ambiental e social, aceitando os métodos de colheita manual ou mecanizada, em função das características de cada propriedade.

Café Natural - Tradicionalmente conhecido como via seca, é o modo mais antigo e mais simples de processar o café e consiste em submetê-lo à secagem na sua forma integral.

Café Despolpado – Removendo-se a casca mecanicamente e a mucilagem por meio de fermentação biológica;

Café Cereja Descascado – Removendo-se mecanicamente a casca e parte da mucilagem, conhecido com CD, comumente usado no Brasil;

Café Desmucilado – Removendo-se a casca e a mucilagem.

Características dos cafés certificados:

• Variedade arábica
• Tradição secular na produção de cafés de montanha
• Alta qualidade - pontuação mínima de 83 pontos (metodologia SCAA)*
• Compromisso com a sustentabilidade socioambiental
• Rastreabilidade

PRESENÇA NO MERCADO NACIONAL E INTERNACIONAL

Produzir cafés que se destacam pela qualidade e complexidade em seu perfil sensorial é algo que fazemos com obcecada dedicação aqui na Mantiqueira de Minas. É por isso que nos sentimos orgulhosos pelo reconhecimento que a região vem alcançando ao longo dos anos, no Brasil e em diversos outros países. Frequentemente estamos entre os vencedores dos maiores concursos mundiais, como o Cup of Excellence. Mas, não há satisfação maior do que ver os cafés aqui da Mantiqueira de Minas surpreendendo Torrefadores e conquistando mais e mais consumidores, mundo a fora. Pessoas que, como nós, são entusiastas pelo café. Hoje os autênticos cafés da Mantiqueira de Minas podem ser encontrados nas melhores cafeterias e mercados no Brasil, Estados Unidos, Coréia, Japão, Austrália e em vários países da Europa.

Terroir Mantiqueira de Minas

Os produtos agrícolas têm como particularidades o fato de sofrerem diretamente influência de fatores geográficos, como solo, clima, fatores agronômicos, variedades, altitude, etc.

No caso do café, por exemplo, uma mesma variedade, plantada em territórios diversos, se expressa diferentemente em cada local, resultando em cafés com específicas personalidades sensoriais.

Essa combinação de componentes geográficos e o trabalho realizado pelos produtores, aliados aos excelentes resultados dos concursos de qualidade, vem comprovar a aptidão da região para produção de cafés de altíssima qualidade.

Nos mercados nacional e internacional, muitos produtos são caracterizados não apenas pela marca que ostentam, mas também pela indicação da sua verdadeira origem geográfica. Esta indicação lhes atribui certa reputação, identidade própria que os distinguem dos demais produtos de igual natureza disponíveis no mercado. No transcurso da história o termo "indicação geográfica" foi se firmando quando produtores, comerciantes e consumidores começaram a identificar que alguns produtos de determinados lugares apresentavam qualidades particulares, atribuíveis a sua origem geográfica, e começaram a denominá-los com o nome geográfico que indicava sua procedência.

Dessa maneira, o conceito de indicação geográfica mostra-se importante, pois destaca as particularidades de produtos de diferentes regiões, valorizando, então, estes territórios.

O reconhecimento de uma Indicação Geográfica, em uma região, contribui para a abertura e o fortalecimento de atividades e de serviços relacionadas à valorização do patrimônio, às atividades turísticas (acolhida de turistas, rota turística, organização de eventos culturais e gastronômicos), ampliando assim o número de beneficiários.

A Indicação Geográfica exprime o reconhecimento de um patrimônio agrícola, gastronômico, artesanal e cultural de uma região.